A escolha da Grécia e suas Ilhas

Grécia e suas casinhas brancas a beira do mediterrâneo

Para você que está planejando ir a Grécia vou contar um pouco como chegamos nesse destino, como escolhemos as ilhas e os diversos sites que li para montar roteiro.

Sempre tive o sonho de conhecer a Grécia e suas casinhas brancas beirando o Mediterrâneo e quando falei sobre a Grécia para o Du ele disse: “Por que não? Não sou muito fã de praia mas se o seu sonho é ir para a Grécia, vamos para a Grécia!”. Porém a condição era eu fazer o roteiro! Tarefa tentadora e mega prazerosa já que eu sempre amei viajar e planejar as minhas viagens! Pois bem, desse dia em diante eu passei a procurar tudo sobre a Grécia, ler todos os sites de turismos, blogs e afins.

Confesso que montar um roteiro para a Grécia não é lá tarefa tão fácil assim… você vai precisar pensar em quantos lugares você quer conhecer, que tipos de lugares você quer conhecer, pensar em como chegar em tantos lugares… enfim é realmente trabalhoso mas  faz você no final sonhar todo dia em entrar logo no avião e seguir para a Grécia!

A Grécia é um lugar tão fantástico que você pode fazer de tudo por lá… há muita história para ver, monumentos, montanhas, uma agitada vida noturna, bons restaurantes e muitas praias diferentes: desertas, estruturadas, com pedra, com muitas pedras, com balada, com muito agito… enfim a Grécia é capaz de agradar todos os gostos!

O território grego inteiro é menor do que o Estado do Paraná, entretanto seu litoral tem mais de 15.000 quilômetros de costa, duas vezes mais que todo o litoral brasileiro; e ainda, nenhuma parte do país fica a mais de 100 quilômetros do mar, facilitando, de onde estiver, o contato com as praias espalhadas pelas diversas ilhas e continente. Logo são milhares de ilhas e escolher 2 ou 3 para visitar chega a ser cruel! 

As ilhas da Grécia são divididas por grupos e a primeira tarefa foi escolher um grupo para depois pensar em quais ilhas visitar. Optamos pelas Cíclades porque para uma primeira visita a Grécia não poderia deixar de lado as duas ilhas que mais ouvi falar: Santorini e Mykonos.

Depois de ler muito a respeito, descobri que as ilhas da Grécia “funcionam”apenas 6 meses do ano, de Maio a Outubro, pois nos demais meses do ano faz muito frio e praticamente tudo fecha. A alta temporada é Julho e Agosto (o verão europeu) e consequentemente os meses mais cheios e mais caros também. Eu e o Du não tínhamos muita opção, só poderíamos tirar 20 dias de férias em Agosto e teríamos que encarar o calor de mais de 32 graus, as ilhas lotadas e os preços mais altos. Mas nem por isso desanimamos! Considerando que precisávamos planejar tudo com muita antecedência, comecei a procurar tudo e pensar no roteiro 10 meses antes da data planejada para viajarmos.

Num primeiro roteiro consideramos 4 ilhas + Atenas, e faríamos 4 dias em cada lugar. Posteriormente descobri a proximidade da Turquia e pensei porque não aproveitarmos e esticarmos alguns dias na Turquia e na Capadócia?  Desde a novela da Globo que sonhava em ver aquela paisagem em cima de um balão e achei que a oportunidade ideal era aproveitar a ida a Grécia. Enfim, depois de muito pensar e planejar, optamos por 15 dias de Grécia e 5 de Turquia e isso implicou em escolher apenas 3 ilhas para poder aproveitar e conhecer tudo com calma.

Li muito o site do Dr Décio, um apaixonado pela Grécia que fez um guia turístico do lugar (http://www.guiagrecia.com.br) e o site é tão inspirador que é recomendado pelo consulado da Grécia no Brasil.

Decidimos que iríamos conhecer as duas ilhas mais famosas, Mykonos e Santorini, e uma que eu achei que valeria a pena depois de ver muitas fotos: Milos. Dividimos os 15 dias da seguinte forma: 3 dias em Atenas e 4 dias em cada ilha. Os outros 5 dias das nossas férias ficariam para a Turquia.

Depois de decididas as ilhas procuramos as passagens aéreas. O vôo mais curto, ou menos cansativo, que achamos era via Turkish Airlines, eles têm um vôo direto que sai de Guarulhos para Istambul (12h30 de viagem) e de Istambul o vôo para Atenas leva mais ou menos 1h. Esse talvez não seja o vôo mais barato mas pelo custo benefício pareceu a melhor opção.

Vôo comprado precisávamos definir qual seria a ordem das ilhas e como chegaríamos em cada uma delas. O meio de transporte mais comum entre as ilhas é de Ferry, uma “super lancha” com lugares demarcados (existem 2 tipos: os ferries que transportam carros e pessoas e os que transportam somente pessoas que são mais rápidos). A outra opção por termos escolhido 3 ilhas com aeroportos, seria avião.

Olhando o mapa das ilhas decidimos começar pela ilha mais próxima de Atenas, Milos e a mais distante por último: Mykonos passando por Santorini que ficava no meio do caminho entre as duas.

Os vôos não eram tão frequentes quanto os ferries e ainda eram um pouco mais caros, então optamos pelo ferry entre as ilhas e, na volta por estarmos mais distante, avião.

Compramos todos os ferries pelo site www.ferriesingreece.com e foi bem tranquilo… só foi preciso procurar o nome do porto de cada ilha e saber a data de chegada e saída de cada uma delas. Em Agosto, o número de ferries é bem mais alto por ser alta temporada mas recomendo comprar com antecedência porque fora da alta temporada achar o ferry na data planejada pode ser um problema.

Fizemos Atenas- Milos, Milos-Santorini, Santorini-Mykonos e de Mykonos pegamos um vôo com escala em Atenas e destino Istambul. Se quiser procurar os vôos disponíveis, recomendo o site www.skyscanner.com, é ótimo para procurar vôos porque ele vai pesquisar todas as cias aéreas disponíveis para o trecho. Nós viemos de AEGEAN AIRLINES mas tem outras cias como OLIMPIC AIR e Atlasjet.

Compradas as passagens e os ferries passamos a procurar hotéis e aluguel de moto/quadriciclo. a melhor forma de se locomover nas ilhas é de moto ou quadriciclo já que o transporte público é escasso e em alta temporada quase impossível achar um táxi.

Bom vou deixar para falar do transporte em cada ilha e como fizemos nos posts sobre cada lugar individualmente.

Uma dica muito importante para quem está planejando ir a Grécia… depois de 15 dias pegando ferries, aviões e carregando malas, o que mais recomendamos para todos: Levem se possível apenas uma mala e pequena! Lembre-se que você vai para praia, se for verão é muito quente e você vai precisar de poucas roupas (no máximo um casaco porque venta bastante a noite). Além do mais, nos ferries você mesmo carrega a sua mala na hora de entrar e sair, em algumas ilhas os hotéis ficam em subidas, ou seja, você vai carregar MUITO a sua mala, logo, quanto menor e mais fácil de carregar, melhor! Lembrando que se você optar pela Turkish você até pode ter 2 malas porém o peso máximo é 20kg cada uma! Vale a pena investir em levar menos coisa e aproveitar mais a viagem sem o stress de carregar um mundo de coisas para cima e para baixo!

Aproveito para deixar alguns sites de referências para quem está planejando ir para a Grécia:

Guia sobre Grécia: www.guiagrecia.com.br;

Turismo na Grécia: http://www.dicaseturismo.com.br/atenas-grecia

Blogs:

www.tatianadumenti.com.br/um-tour-pela-grecia-mykonos-e-santorini ;

http://semdestinoporagatha.blogspot.com/2013/04/um-passeio-pelas-ilhas-gregas-ios.html;

O que fazer em Atenas – 48 horas (parte I)

Até o próximo post! 🙂

Written By
More from Tata Masini

Las Vegas, a cidade que não para

O país que mais visitamos foi os Estados Unidos e curiosamente ainda...
Read More

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *